segunda-feira, 9 de março de 2009

A revolta de um cidadão


Sempre achei que o meu voto fazia a diferença em uma urna. As propagandas veiculadas pela Justiça Eleitoral no período das eleições me fizeram ficar com esta ideia na cabeça, a ideia de que a partir de minha consciência política e meu direito atestado pelo fato de ser cidadão e viver em uma democracia, poderia com o meu voto ajudar em uma real mudança no cenário precário de nossa política, assim sendo, percebi que em 2006, a mudança pareceria acontecer.

Entretanto, Hoje, três anos depois, o que percebemos é que não se vale mais a pena votar, nossa arma como eleitores já não tem mais efeito, o artigo 1º da Constituição Brasileira de 1988, foi rasgado e queimado há alguns dias. Meu direito de votar foi jogado no lixo, por uma decisão um tanto quanto tendenciosa de cinco magistrados, cinco pessoas que nem se quer ao menos conhecem o Estado em que vivo, nosso “atual” governador foi cassado por uma tribuna de homens que cumpriram seu dever, o dever de atestar com uma simples decisão o poder que predomina em nosso Estado, me mostraram que não temos chances de lutar com quem tem o poder nas mãos, mas acima de tudo, me mostraram que o povo tem o governo que merece.

Tanto falei, esbravejei, me emocionei, e até fui à Praça Maria Aragão depois das eleições para governador, em 2006, eu e milhares de pessoas, que confiaram, tiveram fé, depositaram toda sua confiança em um candidato, foram as urnas, votaram, e se iludiram com a certeza de que seu voto tinha valido a pena, que a nova era começava, que os sustentáculos estavam se deteriorando, pura ilusão.

O poder emana sobre aquele que é político e tem uma Empresa de comunicação, com Televisão, Rádios e Jornal que dominam todo o cenário midiático no nosso Estado, o poder emana sobre aquele que feri drasticamente a Constituição Brasileira, o poder emana sobre aquele que nos deixou em desgraça e ainda quer sugar o que resta apenas para satisfazer seu ego.

Achava que meu voto não tinha preço, que ele era um exemplo do que é ser um cidadão comprometido com seu Estado, um cidadão que gostaria de uma mudança para depois contar a seus filhos que seu voto fez toda uma diferença no resultado de um pleito decisivo, hoje percebo que minha burrice maior foi não ter vendido o meu direito de votar, talvez assim ainda pudesse esta rindo de alguma coisa dessa história.


9 opiniões:

[M]. Cartágenes disse...

Votei no cara por ser o menos pior. Sou centrista, assumo, ele não faria nada para melhorar o meu estado, como em praticamente três anos não o fez, e mesmo que fizesse, seria mera obrigação e não bom grado!

Não louvo os Sarney, para mim são todos iguais, a diferença é que um manda municipalmente o outro estadualmente! Acredito que o que acontece no "poder" é reflexo do que somos aqui no "povo", se é que se pode chamar isso aqui de povo e aquilo lá de poder.

Repito, sou centrista, não tenho convicções partidárias, políticas, não simpatizo com nada nem ninguém, prefiro observar de longe e fazer minhas críticas, ressalvas ou elogios quando algo é empregado de maneira justa ou não. Se foi cassado tal mandato, simplesmente por questão de tempo. Um dia ou outro isso aconteceria, por meio de uma iniciativa política ou popular.

Collor que o diga!

Paz mano, ótimo texto!

Anônimo disse...

O ADVOGADO DE SARNEY E O CABIDE DE EMPREGO
Alcinéa Cavalcante - Jornalista
Quinta-feira, 4 de Outubro de 2007

Durante a campanha eleitoral do ano passado, o senador José Sarney tentou de todas as formas calar os jornalistas amapaenses. Moveu mais de cem ações contra jornalistas, blogs, jornais e programas de rádio no Amapá. E ganhou todas no TRE .
No maior atentado à liberdade de expressão em toda a história do Amapá, Sarney conseguiu tirar do ar blogs, programas de rádio e sites de jornais.
Na maioria dos casos, Sarney processou os amapaenses apenas porque reproduziram matérias que tinham saído na imprensa nacional e notas de colunas de jornalistas como Cláudio Humberto, Ricardo Noblat e Cora Ronai. Tais notas e matérias Sarney considerava ofensivas se reproduzidas por amapaenses. Era um crime contra a honra dele, era injúria e difamação.
As multas aplicadas foram altíssimas, variando de R$ 25 mil a R$ 106 mil. Multas que nenhum jornalista honesto tem condições de pagar.
No meu caso, por exemplo, devo exatos R$ 930.518,58 e meu nome está no Cadin. O mesmo acontece com outros colegas jornalistas que ousaram não ter medo de Sarney.
Enquanto Sarney tinha como advogado um funcionário do Senado (ele não deveria estar em Brasília trabalhando?), nós, jornalistas amapaenses, que vivemos de salário, não tínhamos condições de pagar bons advogados, daí perdemos prazos no TSE, fomos parar no Cadim e nem trabalhando até completar cem anos (eu e o Humberto já temos mais de 50, o Correa Neto tem mais de 60) poderemos pagar tais multas, que a cada mês se tornam maiores por causa de altos juros.
Fernando Aquino, o funcionário concursado do Senado, que durante a campanha ficou no Amapá advogando para Sarney, assinando as ações contra os jornalistas, tinha mesmo que mostrar muito trabalho, se empenhar ao máximo para calar a imprensa já que ocupa o cargo de chefe de gabinete do senador Gilvan Borges – que é pau mandado de Sarney – e tem nada menos que oito familiares empregados no gabinete do senador peemedebista, como mostra matéria do Globo Online ontem, reproduzida em vários blogs e que vou reproduzir aqui.

O ADVOGADO DE SARNEY
Fernando Aquino é funcionário do Senado Federal e está atualmente lotado no Gabinete do Senador Gilvam Borges. Saiu da Chefia de Gabinete do Senador Gilvam Borges numa tentativa desesperada de manter seus familiares no mesmo gabinete, assim como ele todos os funcionários do Senado Federal que tinham cargo de direção se afastaram para manterem seus parentes. Parentes são parentes, estando eles ou não sob a chefia imediata de seu familiar, a sua contratação por si mesma já é uma imoralidade. De outra forma só através de concurso público. O que ocorre no Senado Federal é uma verdadeira afronta ao artigo 37 da Constituição que preceitua que “A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência (...)”.

FAMÍLIA UNIDA MAMA UNIDA
Estão lotados no Gabinete do Senador Gilvam Borges

Fernando Aurélio de Azevedo Aquino (Funcionário da Casa)
Tersandro Benvindo de Aquino (Pai do Fernando Aquino, funcionário fantasma)
Leila Carla Caixeta de Sá Aquino (Mulher do Fernando Aquino)
Francisco Hélio de Azevedo Aquino (Irmão do Fernando Aquino)
Mirian de Azevedo Aquino (Irmã do Fernando Aquino)
Ana Lucia Albuquerquer Rocha Aquino (Cunhada)
João Benvindo de Albuquerque Filho (Irmão do Fernando e Marido de Ana Lúcia)
Rodrigo Furtado Caixeta (Cunhado)
Levy Carlos Caixeta de Sá (Cunhado)

Se isso não é favorecimento, o que será então Nepotismo?

Jornalistas processados por Sarney no Amapá
Alcinéa Cavalcante, Alcilene Cavalcante, Correa Neto, Chico Terra, Humberto Moreira, Domiciano Gomes, Maracimoni, Ray Cunha, Alípio Junior

ENDEREÇOS SOBRE O ASSUNTO
JORNAL O GLOBO – 03/10/2007
http://oglobo.globo.com/pais/mat/2007/10/03/297984631.asp
http://oglobo.globo.com/pais/mat/2007/10/03/297984578.asp

GLOBO EXTRA ON LINE – 03/10/2007
http://extra.globo.com/pais/plantao/2007/10/03/297984581.asp

JORNAL DO DIA ON LINE – 05/10/2007
http://www.correiodointerior.com.br/paginas/ler.php?id=46264

CORREIO DO INTERIOR – 06/10/2007
http://www.correiodointerior.com.br/paginas/ler.php?id=46264

BLOG ALCINEA CAVALCANTE – 04/10/2007
http://alcinea-cavalcante.blogspot.com/2007/10/o-advogado-de-sarney-e-o-cabide-de.html

GAZETA DO POVO ON LINE – 06/10/2007 e 3/10/2007
http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/brasil/conteudo.phtml?id=701571
http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/controle/imprimir.php?site=gazetadopovo&editoria=brasil&id=701571

BLOG DO RICARDO SANTOS – 04/10/2007
http://ricardosantoscontraponto.blogspot.com/

BLOG ACERTO DE CONTAS – 02/10/2008
http://acertodecontas.blog.br/imoralidades/gabinete-totalmente-familiar-no-senado/

BLOG DO JOHN – 04/10/2007
http://johncutrim.zip.net/

ABC POLÍTICO – 04/10/2007 e 28/08/2007
http://www.abcpolitiko.com.br/index.php?secao=secoes.php&sc=22&id=16293
http://www.abcpolitiko.com.br/index.php?secao=secoes.php&tipo=3&sc=22&id=15871
(Robin Hood)

Jôice Borges disse...

Pois é Franklin, quando pensamos que somos capazes de pelo menos tentar mudar alguma coisa, com o voto, que seja, sempre vem alguém e faz com que nossas esperanças caiam por terra. Nas últimas eleições deixei de exercer minha cidadania, mas por um só motivo, será que com o meu voto estarei mudando realmente a situação da minha cidade? Me questionei e resolvi anular meu voto e não me arrependi, nem me arrependo. No primeiro turno votei, sim, mas no segundo tive que anular. Agora, estive presente na posse do nosso ainda governador Jackson Lago, vi aquela coisa maravilhosa que foi o primeiro de Janeiro de 2007, aquele espírito de que algo ia mudar, mas logo vi que muita coisa não mudou significamente, afinal, tão pouco tempo não pode sanar os males de mais de 40 anos de oligarquia não? Deixo minha opinião aqui no seu blog e sucesso caro amigo!

Ana Valéria Asharaf disse...

"O povo tem o governo que merece!"

Yasmim disse...

É meu caro amigo Frank, não pude votar neste ano que aparentemente parecia decisivo para nossa “questão” política, um ano que parecia que abriria as portas para nossa emancipação de um poder cujas amarras pareciam impossíveis de qualquer desprendimento, hoje podemos ver que, não só pareciam, como realmente são. Mas por um súbito momento acreditávamos que só parecia, porque nossos votos estavam sendo “ouvidos”, e que tinham força para mudar qualquer coisa.... Mas estávamos enganados, infelizmente, uma triste ilusão, percebe-se agora, que mais do que nunca não temos VOZ...

Victor Hugo disse...

Em 2010, se cada um vender o seu voto por 20 Reais, juntando 10 pessoas nós tomaremos 4 grades de cerveja. Vamos fechar o grupo?

Abração, Sopinha!

Liliam Freitas disse...

O voto não muda. È preciso repensar esse modelo de democracia representativa. E isso não tem muito a ver com a cassação de Jack. Qdo voltei nele, fiquei pensando. Ele não governava, todo mundo sabe disso. Qual a diferença entre ele e outro? Ou entre ela e ele? Ele não foi hábil. Ele precisa estudar

Solange disse...

"...poder emana sobre aquele que nos deixou em desgraça e ainda quer sugar o que resta apenas para satisfazer seu ego..." C falou td com disse isso Wildes. Muito bom o post! Eu votei no Jackson não por ser o "menos pior",mas pelo simples fato de simpatizar sim com ele. E a nenenzinha de Sarney ñ se conteve e pediu pro Papai o Maranhão,e está bem próxima de conseguir,cara mas cada um tem um governo q merece! E esse que a gnt tá tendo,infelizmente!
Falou e disse Frank!
Beijo

=)

Ricardo Santos disse...

Fui roubado, me forçaram votar, e agora me tomaram o voto..


Enviado por: Ricardo Santos

Quem é Sarney, Roseana e toda a sarneysada maranhense para falar de abuso?
Senhores, quem na vida ganhou tanto dinheiro na politica e goza da liberdade simplesmente por causa da ligagação vergonhosa que mantem nos poderes? Esse judiciário é uma vergonha! Fora Zerus Grau, Ayres Brito, também fora a desenbargadora maranhense Nelma Sarney, fora Jorge Murad com Rosengana e toda curriola que envergonha nosso Estado. Maranhão livre já!


http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/03/17/golpismo-com-a-ajuda-da-lei/#more-29455