segunda-feira, 9 de março de 2009

A Igreja é a favor da vida?

Semana passada, a Igreja Católica mais uma vez mostrou o quanto é irredutível em seus princípios [algumas vezes] defasados e retrógrados.

Em meio ao infeliz fato do estupro [provocado pelo padrasto] de uma pequena criança de apenas 9 anos de idade que esperava dois filhos e corria o risco [altíssimo] de morrer se caso tivesse os bebês, em Recife, a Igreja que tanto prima pela vida fez questão de publicar nota excomungando a família da pobre criança pela decisão do aborto. No caso, a Igreja alegou que de maneira alguma poderia se tirar duas vidas, mostrando sua posição com relação ao fato. “Só Deus pode tirar a vida de alguém”.

Mais de 160 casos de violência sexual contra crianças ocorrem no Brasil diariamente, e esse seria apenas mais um noticiado pelas mídias, mas que depois de um tempo seria esquecido se não fosse o ponto crucial disso tudo, o fato da postura da Igreja para com o caso, que tornou a família [traumatizada] da garota a vilã do episódio.

É triste esse falso humanismo da Igreja que em nenhum momento se mostrou preocupada com a criança, esta posição infeliz daqueles que se dizem amantes da vida mostra a “grande” preocupação que a Igreja tem com esses acontecimentos. Em qual outro momento [não tão noticiado] ela se mostrou a frente de um episódio de estupro ou abuso sexual às crianças?

É fácil excomungar uma família por ter tomado uma decisão crucial em favor da vida de uma pobre garota que foi privada de sua infância [foi molestada pelo padrasto desde os seis anos] de seus direitos atestados pela Constituição e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), é fácil achar que seria certo correr o risco de matar uma criancinha que nem ao menos chegou a viver, nem ao menos foi feliz nessa vida.

Como a Igreja diante de toda a sua inteligência, todo o seu domínio, influencia, não pensou que na verdade, o aborto não estava privando dois seres de nascer, estava sim, privando uma dádiva de Deus de nove anos de tentar ser alguém, de tentar de agora em diante resgatar o que foi perdido em três infernais anos de abusos e violências.

O exemplo desta garotinha serve para demonstrar que com todo o seu poderio, a Igreja não faz nada para evitar os casos de violências contra nossas pobres crianças, que são a todo instante violentadas em todos os cantos do Brasil [165 vítimas/dia, isto é, 7 por hora] e do mundo, toda a sua influencia serve apenas para se prevalecer na mídia com um atestado escroto de opinião superficial sobre delicados temas.

Parabéns ao nosso querido Presidente da Republica, Luis Inácio da Silva, pelo seu total apoio a família da garotinha, que mesmo sendo católico [assim como eu], contestou a posição da Igreja, e mostrou que muitas vezes, o fato da Igreja não ter coração à torna uma estúpida organização em prol do sustentáculo de visibilidade.

4 opiniões:

Luana Serra disse...

olá Frank , belo texto
revoltante esse caso. Tanto que tive de voltar a escrever no blog.

olha lá depois.. disse mais ou menos o que vc , só que de um jeito diferente.. engraçado que , acho que vc sentiu isso tb , enqaunto escrevia e lembrava daquele bispo , a raiva subia

ooh pessoa sem noção

Pedro Ferreira disse...

A igreja católica sempre errou. Errou qndo permitiu que seres humanos fossem escravisados so por causa da cor, fechou propositalmente os olhos para os milhões de seres humanos dizimados por Hittler, permite que milhões de africanos morram todos os dias por causa da aids plantando inverdades e depois vem com uma conversa totalmente falsa a favor da vida? Não passam de um bando de hipócritas! Estão sempre espalhando o amor e a miséricordia, mas onde esses sentimentos estavam quando excomungaram as pessoas que salvaram a vida de uma criança brutalmente execrada da sua infância. Me senti nesse momento no mais tenro dos períodos medievais, só faltou queimá-los em praça pública. A igreja católica não entende, mas só isso já é fator preponderante para explicar o substancial abandono de pessoas da igreja católica, eu sou um deles!

Liliam Freitas disse...

A igreja católica só pensa nela e somente na vida nela. Escrevi um texto intitulado Avisem a Igreja que o Estado é Laico. E olha que não moramos em um império em que a igreja mandava.
Se o Estado é laico, a igreja pode gritar e espeniar. O Estado é legal. Teve uma advogada da Igreja que ia entrar no ministério público para proibir o aborto. Pode?!

Frank Lima disse...

De acordo com o Artigo 128 do código penal:

Não se pune o aborto praticado por médico:

I - se não há outro meio de salvar a vida da gestante
II - se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal.