domingo, 15 de fevereiro de 2009

Imprensa brasileira e caso de advogada na Suíça.

Esta semana a imprensa brasileira cometeu mais uma gafe irremediável.

Sem ao menos ter apurado [realmente] os fatos acerca do acontecido com a jovem advogada brasileira, Paula Oliveira, que reside na Suíça, e que supostamente teria sido violentada por neonazistas, o nosso jornalismo bombardeou seus telespectadores com informações [no mínimo suspeitas] de que a jovem brasileira teria sido atacada por três homens em uma estação de trem, em Zurique, na Suíça.

Seguindo apenas informações do pai da moça, a imprensa atacou vorazmente a Suíça, [um país famoso pela bela relação diplomática com o Brasil] fazendo até o nosso ministro Celso Amorim ofender o país amigo pedindo esclarecimento sobre o fato, tudo isso decorrente de toda “mal” cobertura dada pela Rede Globo aos seus milhões de telespectadores.

O que se sabe hoje, dia 15, é que a jovem pernambucana mentiu, ao afirmar que estava grávida aos policiais que lhe socorreram na estação de trem, onde havia sido atacada.

Segundo laudo da pericia medica, a jovem no momento da suposta agressão não estava grávida. A policia Suíça agora trabalha com a possível idéia de que a brasileira poderia ter se automutilado, pois para os policiais as marcas no corpo foram feitas em lugares onde suas mãos poderiam alcançar.

O pai, Paulo Oliveira, em entrevista ao Fantástico defendeu a filha “ela é uma menina equilibrada, estabilizada e que não tinha motivos para fazer tal barbárie com o corpo”.

Ao ser perguntado sobre a possível gravidez da filha, Paulo Oliveira disse não ter duvidas de que a filha estava grávida ao ser atacada, mas que não tinha provas se ela realmente estava.

5 opiniões:

Móó legal disse...

sem noção essas paradas, né!?
uma pena q em pleno século xxi coisas com essas ainda aconteçam!

--
www.moolegal.wordpress.com
falando do caso do guri pai aos 13!
passa lá!

John Cutrim disse...

Amigo Frank Lima isso não só se reflete na Rede Globo, mas também na sua filiada aqui no Maranhão, a TV Mirante. Um abração e parabéns pelo blog.

John Cutrim JP

Frank Lima disse...

[...]A imprensa brasileira se apressou em fazer julgamentos definitivos, decretando um ataque racista e xenófobo contra uma compatriota residente na Suíça, baseado na percepção de parentes da suposta vítima que por sua vez se apoiaram em informações dadas por Paula por telefone.

[...]A reação da polícia suíça e novos fatos divulgados posteriormente colocaram em dúvida a versão inicial da advogada, deixando os consumidores de informações diante das seguintes alternativas:

a) Estudar o caso, analisando seu contexto na Europa, as várias versões publicadas na imprensa e o comportamento dos principais protagonistas;

b) Escolher uma percepção e minimizar as demais para poder opinar;

c) Ignorar o fato por falta de opinião formada, já que as versões se mostram contraditórias, incompletas ou vinculadas às partes interessadas.

[..]O presidente Lula e o chanceler Celso Amorim engoliram a versão da imprensa, que por sua vez engoliu a versão da família de Paula e o resultado foi um quase vexame diplomático e uma “barriga” da imprensa, especialmente da TV Globo.

Por: Carlos Castilho,observatório da imprensa

Liliam Freitas disse...

Não é impossível que um estrangeiro sofra um atentado xenófobo, ainda mais na civilizada europa, mas daí a brasileira ter sido vítima é um espaço grande.

Eu espero o final do caso, ele caminha aparentemente para a criminalização da suposta vítima.

O bom é que ela estará lá em um país sério, não em nosso em que a impunidade é grande, em que um sertanejo ficou 8 anos da cadeia impunemente

Frank Lima disse...

"Brasileira grávida é agredida por neonazistas na Suíça e perde gêmeos"

site G1, dia 12/02

"Amorim quer reunião com embaixador suíço sobre brasileira agredida"

site G1, dia 12/02

"Brasileira agredida por neonazistas na Suíça voltará ao Brasil após alta, diz pai"

site G1, dia 12/02