sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Ocupação do morro Dona Marta no Rio


Há cerca de um mês o morro Dona Marta, em Botafogo, na zona Sul do Rio, está sendo ocupado por pelo menos 120 policiais fortemente armados. Segundo a Secretaria de Segurança do Rio, não há mais noticias de tráfico de drogas na região e o morro anda mais tranqüilo sem a presença dos traficantes.

A policia é o único braço do governo que sobe o morro e sempre que sobe mata e depois pergunta, é sempre assim.

A Secretaria de Segurança afirma que o morro está mais seguro, seguro de quê? Afinal todos sabem que os reais bandidos são os próprios policiais. Pergunte aos moradores o que eles realmente acham da presença da polícia no morro, o perigo é eminente, um confronto com os traficantes é sempre esperado e para a polícia qualquer um do morro é traficante, não existe pessoas de bem, é isto que eles realmente pensam.

A policia do Rio de Janeiro é a que mais mata no Brasil e uma das que mais mata no mundo, e onde é que estão as vitimas? No morro, que é o lugar onde as pessoas viram apenas estatísticas no IML.

Enquanto perde-se tempo enviando tantos policiais ao Dona Marta, não se compreende uma coisa básica, pessoas entram para o tráfico no morro porque não existe uma política pública eficiente por parte dos poderes, o tráfico é a única solução para aqueles que são exclusos de tudo, até mesmo de uma mínima condição humana de vida, colocar a polícia no morro é simples, mas o fato é, polícia entra no morro apenas para amedrontar os moradores e não os traficantes, que sempre estão em número maior e com melhor armamento.

É tolice achar que um policiamento ostensivo e agressivo faz com que os traficantes deixem de vender drogas e acaba-se com os conflitos da favela, afinal de contas a corrupção no Rio de Janeiro é tamanha que a “putrefação” da polícia anda atrelada à política de drogas dos traficantes.

No Rio, políciais com um salário baixo, vendem-se como garotos de programas para complementar a renda da família, assim como os moradores que sem um assistencialismo do governo se tornam as principais vítimas.

Afinal, como diria um morador “se o povo soubesse como é acordar e escutar o choro de seus filhos pedindo comida, eles olhariam as drogas no morro com outros olhos”.


Dados: Por ano, aproximadamente 50 mil pessoas morrem no Brasil, vítimas de homicídio, nossa taxa de violência é uma das mais altas do mundo, atingindo 27 homicídios por 100 mil habitantes. Paises da Europa Ocidental têm taxas de dois ou três homicídios por 100 mil.

Em 2005, a policia do Rio de Janeiro matou, em ação, legalmente, 1098 pessoas, enquanto que São Paulo em segundo lugar matou “apenas” 300 pessoas.

De janeiro a julho deste ano As polícias Civil e Militar do Rio mataram 819 pessoas em supostos confrontos, De acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP) do Estado.

1 opiniões:

Lucas Sepulveda disse...

Pessoas morrem nisso. Um horror.


http://quartodealuguel.blogspot.com/