segunda-feira, 16 de março de 2009

A “nigrinhagem” entre o DETRAN e a Euromar

DESDE semana passada, dois veículos de comunicação do Estado estão sendo usados para uma briguinha besta entre Euromar vs DETRAN, ou mais precisamente entre o empresário Alessandro Martins e – o atual – Diretor Geral do DETRAN, Clodomir Paz.

Na TV Mirante, a Euromar acusa o DETRAN de estar dificultando o emplacamento de mais de 300 carros que supostamente fizeram parte dos crimes pelos quais o presidente da Euromar, Alessandro Martins, está sendo acusado: formação de quadrilha, sonegação fiscal, estelionato, fraude em documento veicular e crime contra a economia popular.

Na Difusora, o DETRAN se defende afirmando que apenas está fazendo o que a lei manda, e que Alessandro Martins esta equivocado nas afirmações direcionadas ao Diretor Geral da Entidade.

Segundo Alessandro Martins o DETRAN “na pessoa” de Clodomir Paz, esta beneficiando as concessionárias concorrentes em tal decisão, segundo o próprio Alessando – em entrevista ao jornalista Marcos D´eça - “[...]O órgão decidiu suspender os licenciamentos por causa da denúncia dos concorrentes” trecho desta entrevista.

Caso por caso, o que se percebe é que ambos estão usando [e bem] das artimanhas da “comunicação” para se atacarem em um confronto direto, com moldes políticos pela telinha maranhense, e a nigrinhagem está rolando solta pelos canais de televisão, principalmente em horário nobre.

Vamos esperar para ver como será o próximo capítulo desta novela das 8.


5 opiniões:

Anônimo disse...

” São Luís, 2 de Maio de 2006 - A Euromar Automóveis e Peças Ltda., concessionária da Volkswagen em São Luís, defende-se das acusações do Ministério Público do Maranhão sobre a compra de carros envolvendo a Locadora São Luís Ltda. para obter desconto especial direto da fábrica e vender ao consumidor. De acordo com a promotora de Justiça da 2ª Promotoria de Investigação Criminal, Themis Maria Pacheco de Carvalho, que investiga o caso desde março, a concessionária mantém um esquema para adquirir carros por meio da locadora, de propriedade do irmão de um dos sócios, Roberto Hachen. Após a compra com desconto da fábrica, os carros seriam vendidos em promoções. Diante da constatação do fato, a promotora deu entrada na Justiça com Ação de Busca e Apreensão de 127 veículos vendidos irregularmente pela concessionária no ano passado. A decisão judicial de busca e apreensão, que deveria ter sido cumprida na semana passada, foi sustada por uma liminar concedida à Euromar pela desembargadora Nelma Sarney. Como os carros já estão nas mãos dos clientes, a promotoria alega que a concessionária não é parte no processo e sim, os proprietários dos veículos. Volks e clientes sabiam A diretora comercial da Euromar, Macia Paz, admite que carros da marca Gol vendidos nos meses de agosto e setembro do ano passado eram da locadora, que havia efetuado uma compra da fábrica, por meio da concessionária, mas depois desistiu do negócio. Então, os carros adquiridos foram vendidos pela concessionária. Márcia Paz afirma que os descontos obtidos pela locadora foram repassados aos clientes e que todos eles sabiam das condições. Ou seja, que só poderiam ser transferidos para seus nomes depois de 180 dias. “Dissemos aos clientes, o carro é zero, mas está no nome a locadora”, conta a diretora, ressaltando que nenhum cliente foi lesado e que a transação não significou concorrência desleal. Os clientes assinaram um termo de compromisso, no qual declaravam estar cientes da situação, segundo a diretora. “Foi apenas este lote que era da locadora. A Euromar vende em média 450 carros por mês. Em março vendemos 560. Este mês, já temos 400 carros vendidos”, diz a diretora da empresa, ressaltando que no ano passado, a concessionária vendeu mais de 7 mil veículos. A Euromar tem mais de sete anos no mercado de São Luís e fatura em torno de R$ 10 milhões por mês. Márcia Paz afirma ainda que a Volkswagen tinha ciência da venda dos carros da locadora pela concessionária. O proprietário da Locadora São Luís, Roberto Hachen, confirma a versão da diretora comercial da Euromar. O empresário conta que na época da transação planejava renovar a frota da locadora. Como a fábrica ofereceu um bom desconto (20%) e a empresa tinha possibilidade de conseguir novos contratos, em função das perspectivas de crescimento da economia local com a instalação de uma siderúrgica em São Luís, decidiu comprar os carros. Como não viu mais as perspectivas, resolveu desistir dos carros por não ter como pagá-los. “Não podia mais ficar com os carros. Não tinha como pagar”, diz. A frota atual da empresa, segundo o empresário, é de 125 carros. Investigação continua A promotora Themis Carvalho informou que vai continuar as investigações sobre a Euromar porque os indícios de crimes são muitos. Themis Carvalho, porém, decidiu mudar a sua estratégia. Na última sexta-feira, reuniu-se com representantes da Secretaria de Estado da Fazenda do Maranhão, com o Gcet (Grupo Especial de Combate aos Crimes Fiscais) para atuar em conjunto com estes órgãos nas investigações sobre as transações comerciais da Euromar. As investigações retrocedem ao ano de 2004 a 2006. Também pretende convidar a Polícia Federal, Receita Federal e Procuradora geral da República para formarem uma grande equipe, tendo em vista os indícios de crimes também de competência federal. Themis Carvalho vai solicitar o apoio do Ministério Público de São Paulo para investigar um possível envolvimento da montadora Volkswagen nas transações ilegais da Euromar. A Promotoria estima que existam mais de 300 carros adquiridos por meio de locadora ou de pessoas usadas como laranjas - o que envolveria uma série de outros artifícios para reduzir o imposto. A venda de carro adquirido para teste drive ao cliente é outro exemplo de irregularidade. “A fraude é grande e não se restringe só ao caso da locadora”, afirma Themis Carvalho. kicker: A promotora Themis Carvalho informou que as investigações na empresa vão continuar porque os indícios de crimes são muitos (Gazeta Mercantil/Gazeta do Brasil - Pág. 13)(Franci Monteles)”

Larissa Régia disse...

Eu não li o comentário acima por inteiro, mas penso que a discussão importante, para nós estudantes de comunicação, é a modificação do uso da mídia não para esclarecer a população, mas ,como vimos no caso, para privilegiar uma opinião ou outra. O que é bem equivocado e até ridiculo, já que a TV possui um carater mais social mesmo passando por modificações profundas na atualidade ela ainda consiste em tal intento.

Liliam Freitas disse...

Vi as duas notas, todas as notas em um só canal. A primeira foi a da Euromar. Ela sempre se antecipa, fez inclusive uma antes de o escandâlo estourar na midia.

É O jogo de uma empresa ré com um órgão do estado. Alguns funcionários do DETRAN estavam envolvidos.

É uma briga besta, mas o DETRAN tinha que entrar nessa. Se não parecia verdade a nota da EUROMAR.

Fora que não vão sair matérias que prejudiquem a EUROMAR nos veículos de comunicação.
Valeu

Loki-sama disse...

Que engraçado ver que o termo "nigrinhagem" é usado no Maranhão também, porque aqui na Bahia é bem comum!

Anônimo disse...

Comprei um Gol zero km em maio de 2008, paguei o veículo à vista e até hoje não sou o legítimo dono do carro, pois, está em nome de uma empresa de Leasing e alienado. Continuo acreditando que o bem está acima do mal e este rapaz que tanta coisa errada fez deva pagar pelo que fez.
Nem sequer posso andar no carro, porque paguei o IPVA e a Euromar se recusa a me entregar o documento. Neste caso, só me resta andar de ônibus, apesar de ter investido R$ 40 mil reais. Espero que estas pessoas que pensam que estão acima da lei paguem pelos crimes que cometeram, porque o que está relatado no relatório da CPI da Assembléia Legislativa é escabroso e de agora em diante o poder Judiciário do Maranhão não pode ser desmoralizado por um punhado de pulhas que pensam que podem tudo.