quinta-feira, 27 de agosto de 2009

José Sarney, ou seria mãe Dinah?

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), afirmou nesta quarta-feira (26), em entrevista ao site Terra, que tem certeza de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva conseguirá eleger o seu sucessor, no caso a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.Na visão de Sarney, apenas o apelo popular de Lula é suficiente pra eleger Dilma em 2010. "Eu acho que o presidente Lula fará o seu sucessor porque ele tem um grande carisma, uma grande penetração popular e está fazendo um excelente governo. (...) Isso é muito importante para um político", afirmou.
.
Eu não duvido mais é de nada. Se vacilar o poderoso chefão tem mesmo razão. Afinal de contas, com a costa quente dele [mesmo com as denúncias e provas, se safou, e bem, dos atos secretos “escancarados”], e os podres do congresso [todo mundo com corda até o pescoço], quem é que vai querer confrontar o bigode do vovô Sarney. É melhor ficar calado e ouvir a previsão do “presidente” do Senado.

1 opiniões:

danielfernandes ;) disse...

Não é só Sarney que vem dizendo isso, todos os empoleirados na popularidade de Lula que pretendem usar a situação pra se perpetuar no poder (vários do PT e do PMDB) vem tentando incrustar na cabeça do povo que não tem jeito, que vai ser assim e pronto. Bom eu, um mero eleitor, não sou alguém pra revelar o futuro da nação tão fatidicamente mas eu tenho sincero medo de que essas profecias do apocalipse acabem se tornando verdade, e não por causa da base governista, mas sim por causa da oposição.
O PT já vem há um bom tempo tomando a dianteira da propaganda eleitoral (embora ilegalmente). Mal começou o ano e Lula já saía pelo Brasil propagando a idéia de que, se Dilma ocupar seu lugar, o Brasil estará salvo de todos os males. E pela mídia, só se ouve falar de sucessão eleitoral atrelado ao nome Dilma. Na minha opinião, os partidos de oposição poderiam muito bem jogar com a mesma moeda, fazer também pelos seus estados, municípios, campanhas para concientização da população do verdadeiro estado da política nacional, incentivar as pessoas a pesquisar sobre o assunto. Mas a oposição tem se mostrado fria. E ainda por cima, no Congresso, vê-se os partidos brigando entre si pelo presidente do Senado, pela ex-secretária da Receita, dentre outros assuntos que não são muito paupáveis pra grande maioria dos brasileiros. Discutir isso é importante? Óbvio, mas não pode-se deixar de lado o foco principal, que é o ano eleitoral. O povo precisa ser convencido que não existe só Lula no Brasil. Mas até agora não vi ninguém mover um dedo quanto a essa questão, nem Marina. Eu sinceramente vou começar 2010 com poucas esperanças.